Óleo Essencial de Bergamota QUINARÍ
  • bergamota_10ml

Óleo Essencial de Bergamota QUINARÍ

R$57,90R$438,90

Na aromaterapia, o óleo essencial de bergamota QUINARÍ atua como anti-depressivo, ajudando contra a insônia. Também é antisséptico.

Limpar Seleção
REF: 656 Categoria
000
Nome do Produto: Óleo essencial de bergamota QUINARÍ
Nome em Inglês: Bergamot essential oil
Nome Científico: Citrus bergamia
Número de Registro na ANVISA: 25351.436444/2017-93
Código de Barras: 789845269 447 1
Origem: Itália
Método de extração: Prensagem a frio da casca dos frutos
Descrição: Líquido esverdeado de odor cítrico
Aromaterapia: Óleo cítrico muito agradável, com efeito anti-depressivo. Também atua contra a insônia e como antisséptico.
Principais componentes: Limoneno (limonene)
   100% Puro Não Testado em Animais

 

Óleo Essencial de Bergamota

O óleo essencial de bergamota (Citrus bergamia) provém da casca de uma fruta que cresce na Itália e pode ser confundida com a erva conhecida como bergamota. Esta última é originária da América do Norte, e seu nome surgiu porque o odor de suas folhas se assemelha ao do verdadeiro óleo de bergamota. A árvore de Bergamota recebeu este nome da cidade de Bérgamo, na Lombardia, onde o óleo foi inicialmente comercializado. É extraído da casca da fruta, sendo bastante utilizado pela indústria de perfumaria e seu preço geralmente é mais elevado em relação aos outros óleos cítricos. O odor é doce e cítrico, mas tem uma qualidade floral quente ausente no limão e na laranja – que faz lembrar lavanda e nerol.

Mistura-se bem com a maioria dos óleos, principalmente jasmim, cipreste e nerol. Junto com o nerol e a lavanda, é um dos principais ingredientes da água de colônia clássica. Ele dá um toque muito agradável a quase toda mistura, fornecendo também um óleo de banho fresco e relaxante. Alguns aromaterapeutas o recomendam para câncer no útero, não como agente curativo, mas para minimizar muitos dos sintomas e efeitos colaterais. Na sua composição, tem-se uma grande quantidade de ésteres, representados em particular pelo acetato de linalilo. Aliás, seu preço é determinado pela riqueza destes ésteres. Contém 16 a 35% de alcoóis livres, como linalol, nerol e álcool di-hidrocumínico, e cerca de 50% de d-limoneno (existindo, sim, outros hidrocarbonetos). Contém, ainda, várias lactonas, como limetina ou cipropteno, bergaptol, bergapteno (cerca de 5%) e bergamotina, e aldeídos em quantidades muito pequenas.

O óleo essencial de bergamota foi usado na medicina popular italiana durante muitos anos, basicamente contra febres e vermes. Usado em duchas e banhos de assento, ele tem apresentado bons resultados em infecções gonocócicas, leucorréias e pruridos vaginais. Tem ampla aplicação como anti-séptico e é eficaz contra gonococos, estafilococos, cólica, meningococos, vibrião Nasik, bacilo da difteria e muitos mais. É de particular valor em infecções da boca, pele, tratos respiratório e urinário, e é indicado na difteria, amigdalite e muitos tipos de doenças da garganta. Tem efeito levemente irritante sobre a pele em concentrações altas, mas, se usado com moderação (1% ou menos), tem o efeito contrário. Ele tem sido considerado útil em eczemas, psoríase e acne, e é um bom anti-séptico e agente curador para feridas e úlceras indolentes. Tem sido usado também na seborréia da pele e do couro cabeludo, e age como parasiticida na sarna. É um eficaz agente desodorante.

Aromaterapia

O uso dos óleos essenciais para fins medicinais é conhecido desde a remota antiguidade. Há registros pictóricos de seis mil anos atrás, entre os egípcios, de práticas religiosas associadas à cura de males através destes óleos. De acordo com Tisserand e Young (2014) em “Essential Oils Safety”, os óleos essenciais estão no domínio público por mais de 100 anos e atualmente cerca de 400 óleos são empregados na fabricação de cosméticos, produtos farmacêuticos, alimentos, bebidas, materiais de limpeza e na indústria dos perfumes. Destes, cerca de 100 óleos essenciais são regularmente empregados na aromaterapia contemporânea. A aromaterapia, conforme Jane Buckle (2014) em “Clinical Aromatherapy”, é uma terapia multifacetada que visa proporcionar bem-estar e/ou a cura de enfermidades por meio da utilização dos óleos essenciais.

A palavra “aromaterapia” foi criada por René-Maurice Gattefossé, um engenheiro químico formado pela Universidade de Lyon e um dos primeiros estudiosos das propriedades terapêuticas dos óleos essenciais. Ela apareceu pela primeira vez na edição de dezembro de 1935 na revista “L’Parfumarie Moderne”, a qual também nomeou uma coluna de artigos escritos por Gattefossé ao longo de 1936. Em seguida, o termo “aromaterapia” foi também bastante utilizado por Marguerite Maury (1961), uma enfermeira, e por Jean Valnet (1976), um médico, que contribuíram imensamente para o avanço (e popularidade) da aromaterapia clínica, demonstrando a sua eficácia no tratamento de várias moléstias. De lá para cá, a aromaterapia se encorpou e ganhou respaldo técnico-científico. Atualmente, ela é bastante popular na Europa, em especial na França e Inglaterra, e vem ganhando cada vez mais adeptos em todas as partes do mundo.

 

Informação Adicional

Peso 200 g
Dimensões 10 x 10 x 10 cm
Conteúdo

100ML, 10ML, 500ML