Óleo Essencial de Canela Casca QUINARÍ
  • canela_cascaoe

Óleo Essencial de Canela Casca QUINARÍ

R$69,80R$478,90

Na aromaterapia, o óleo essencial de canela casca QUINARÍ é considerado um poderoso antisséptico, agente excitante do aparelho gastrointestinal e do útero. Também atua como um afrodisíaco, afinal, estimula o sistema circulatório e glandular.

Limpar Seleção
REF: 110 Categorias ,
000
Nome do Produto: Óleo essencial de canela (casca) QUINARÍ
Nome em Inglês: Cinnamon essential oil
Nome Científico: Cinnamomum cassia
Número de Registro na ANVISA: 25351.280763/2018-11
Código de Barras: 789845269 449 5
Origem: China
Método de extração: Arraste de vapor da madeira
Descrição: Líquido amarelo a marrom, de odor característico
Aromaterapia: É considerado um poderoso antisséptico, agente excitante do aparelho gastrointestinal e do útero. Também atua como um afrodisíaco, afinal, estimula o sistema circulatório e glandular.
Principais componentes: Aldeído cinâmico (cinnamic aldehyde) ou cinamaldeído (cinnamaldehyde)
100% Puro Não Testado em Animais

 

Óleo Essencial de Canela

O óleo essencial de canela pode ser extraído tanto das cascas como das folhas. O óleo da casca é um líquido amarelo dourado, de cheiro delicado, com sabor doce, quente e aromático. Contêm de 42 a 75% de aldeído cinâmico (cinamaldeído) e de 4 a 10% de eugenol, dosado pelo hidróxido de sódio a 3%. Dentre seus constituintes minoritários, destacam-se o alfa-pineno, alfa-felandreno, cariofileno, linalol, cumínico, hidrocinâmico, nonílico e furfural. É considerado um poderoso anti-séptico e vem sendo bastante empregado na indústria farmacêutica e de alimentos como flavorizante, bem como na fabricação de perfumes. Já o óleo das folhas é rico em eugenol, razão pela qual é destinado a outros mercados, menos exigentes. Nesses óleos, o aldeído cinâmico é revelado por manchas amareladas obtidas com a dinitrofenilhidrazina ou, então, de cor ruivas pela orto-dianisidina e o eugenol, por sua vez, pode ser identificado pela cor azul-violácea, obtida com a dibromoquinona-cloroimida.

O óleo essencial de canela casca possui as seguintes propriedades comprovadas: é antiespasmódico, anestésico, anticoagulante, estimulante, antibacteriano e antiflatulente. Em testes de laboratório, o cinamaldeído isolado inibiu (embora nem sempre) o desenvolvimento de leveduras resistentes ao fluconazol, um medicamento indicado para uma série de infecções fungicidas, como a candidíase vaginal. Mostrou-se, também, eficaz contra as bactérias que vivem no dorso da língua e moderada ação antiagregante plaquetária. Num outro estudo, realizado em 2012 e com ratos, este óleo causou grande surpresa ao promover um aumento da concentração e motilidade do esperma além de proteger os órgãos reprodutores masculinos contra danos ocasionados pelo tetracloreto de carbono (utilizado na indústria como solvente), acompanhados de um aumento significativo dos testículos e epidídimos. É, ainda, um excitante do aparelho gastrintestinal e do útero, entretanto, em doses excessivas produz irritação das mucosas e hematúrias (urina com sangue). Por fim, é um dos óleos mais utilizados como afrodisíaco, afinal, estimula o sistema circulatório e glandular; considerado, portanto, um óleo quente. PS: por conta de sua moderada ação nas plaquetas, como antiagregante, deve ser administrado com cautela por portadores de hemofilia (hereditária ou adquirida), pacientes com deficiência de vitamina K ou doenças do fígado.

Aromaterapia

O uso dos óleos essenciais para fins medicinais é conhecido desde a remota antiguidade. Há registros pictóricos de seis mil anos atrás, entre os egípcios, de práticas religiosas associadas à cura de males através destes óleos. De acordo com Tisserand e Young (2014) em “Essential Oils Safety”, os óleos essenciais estão no domínio público por mais de 100 anos e atualmente cerca de 400 óleos são empregados na fabricação de cosméticos, produtos farmacêuticos, alimentos, bebidas, materiais de limpeza e na indústria dos perfumes. Destes, cerca de 100 óleos essenciais são regularmente empregados na aromaterapia contemporânea. A aromaterapia, conforme Jane Buckle (2014) em “Clinical Aromatherapy”, é uma terapia multifacetada que visa proporcionar bem-estar e/ou a cura de enfermidades por meio da utilização dos óleos essenciais.

A palavra “aromaterapia” foi criada por René-Maurice Gattefossé, um engenheiro químico formado pela Universidade de Lyon e um dos primeiros estudiosos das propriedades terapêuticas dos óleos essenciais. Ela apareceu pela primeira vez na edição de dezembro de 1935 na revista “L’Parfumarie Moderne”, a qual também nomeou uma coluna de artigos escritos por Gattefossé ao longo de 1936. Em seguida, o termo “aromaterapia” foi também bastante utilizado por Marguerite Maury (1961), uma enfermeira, e por Jean Valnet (1976), um médico, que contribuíram imensamente para o avanço (e popularidade) da aromaterapia clínica, demonstrando a sua eficácia no tratamento de várias moléstias. De lá para cá, a aromaterapia se encorpou e ganhou respaldo técnico-científico. Atualmente, ela é bastante popular na Europa, em especial na França e Inglaterra, e vem ganhando cada vez mais adeptos em todas as partes do mundo.

leia-mais

Informação Adicional

Peso 300 g
Dimensões 10 x 10 x 10 cm
Conteúdo

100ML, 10ML